coração

2013-11-16 18.42.38

 

Uma segunda-feira com o nível de energia de uma sexta: tô exausta! Mas TÃO feliz de ter conseguido fazer tudo que eu queria esse feriado.

Quadrinhos e mais quadrinhos, avião, estrada de madrugada, correria com a noiva, casamento mais lindo, pessoas muito queridas, festão, estrada de manhã cantando sertanejo, avião, quadrinhos, família.

UFA!

Tudo lindo, tudo feliz…

Deixo aqui hoje um dos hits máximos da estrada. Amo música de estrada! É meio brega, mas bão demais!!!

vem cá FIQar!

Finalmente chegou!!! A semana mais legal da vida a cada dois anos! É a semana do Festival Internacional de Quadrinhos, meu povo!

Sim, sou empolgada nesse nível com o FIQ. Esse ano será a terceira edição seguida que eu participo ativamente. O prazer que é estar em um lugar onde se respira quadrinhos, cheio de autores, revistas inéditas, sessões de autógrafo… Comprar as revistas direto de quem fez, viver aquilo ali é bom demais.

E esse ano tá cheio de gente especial! Pra começar, o homenageado da edição é o monstro sagrado Laerte Coutinho. Atrações fantásticas internacionais e nacionais também vão marcar presença. No site e nesse fantástico release em quadrinhos tem mais detalhes.

Música pra combinar com essa empolgação toda? Suave, pra aguentar vencer as obrigações da semana e aproveitar o FIQ feliz como sempre…

I got comics books…’

 

uma velha novidade

09

Pra começar a semana, uma música que só conheci esses dias. Vem de um disco da Gal, produzido pelo Caetano e seu filho, Moreno Veloso. O disco se chama Recanto, foi lançado em 2011 e traz uma série de misturas eletrônicas, bem diferente do que acostumamos ouvir da cantora.

De qualquer forma, ficou lindo!

Deixo pra hoje a faixa que mais gostei: Neguinho. Letra forte, música intensa.

dar o fora

1175789w590

Semana passada essa música caiu na minha mão por acaso (valeu xuxu!). E gente, QUANTA lembrança!

Na verdade não só a música, mas todo o primeiro disco da Daniela Mercury é quase um baú de lembrança. Daqueles que eu tinha o vinilzão e escutava sem parar na vitrolinha que ficava no quarto. Delícia!

E esse clipe? Um show a parte…

Pra começar a semana mexendo.

climinha

1076073

Dias de friozinho, chuvinha fina e ansiedade brutal. Dias de comida quentinha, filmes e um vinho pra acompanhar.

Dias de olhar pra frente.

“Aponta pra fé e rema”

Tira de um dos meus quadrinhistas preferidos da vida: Liniers. Argentino, ele parece ter vindo ao mundo com uma luz a mais… Consegue ser engraçado, delicado, alegre. Gracioso. Quem não conhece, peloamordedeus corrige isso!!

a cabeça é a ilha

“É-nos possível estar sozinhos, desde que seja à espera de alguém” Gilbert Cesbron

Passagem tirada daqui: webserie do genial André Dahmer sobre a solidão. Série essa que deu origem a esse livro que usei pra ilustrar o post de hoje. Amo.

(…) “um livro generoso sobre a solidão, o desencontro, a incompreensão”

Na verdade amo tudo que já li do Dahmer. Ele é alguém que fala das dores, fazendo rir. É um livro de quadrinhos. Não, não é bonitinho, não é engraçadinho. É real.

“Desarpecebidos, quase anônimos aos olhos do outro, os solitários se arrastam pelos labirintos da timidez ou vivem de um sentimento permanente de estranheza diante do mundo, com toda razão: é que hoje em dia o amor é artigo raro e a indiferença é vendida, aos borbotões, como moderno (e único) modelo a ser seguido”

Pras horas que os pensamentos assustam, afastam dos outros. Nos tornam uma ilha. É um título que faz sentido em vários momentos da vida. Da minha, pelo menos…

“Para os que falam sozinhos, bêbados em seus apartamentos. Para os que olham para os edifícios altos como uma saída digna para o sofrimento. Não que o livro vá curá-los de toda a angústia. Porque, se dói, é sinal de que se vive. Mas rir da própria dor é uma forma de domesticar nossos monstros e aceitar nossa fragilidade diante do abandono, da indiferença. Porque o mundo não precisa de mais suicidas, muito pelo contrário. Estamos precisando de gente renascida, se é que me entendem.

Trechos retirados da introdução do livro A Cabeça é a Ilha. Mais sobre o trabalho do Dahmer em www.malvados.com.br.

apenas humana

quem nunca quis ser super-herói, né? Quem nunca se imaginou com algum super poder? Voar, ter super velocidade, voltar no tempo, ler pensamentos… ficar invisível, quem sabe?

no meu amor sem fim pelas histórias em quadrinhos, sempre tive isso em mente. nas leituras de Espada Selvagem de Conan, ou na fase hard DC Comics. amo muito HQs até hoje, mas o pique de acompanhar as histórias mês-a-mês acabou. o tipo de quadrinhos que leio hoje em dia mudou, como quase tudo nos últimos 19 anos. mas ainda é uma grande referência de felicidade pra mim.

hoje, mais uma vez, vou postar uma música da Madeleine Peyroux. Mais uma vez, apaixonei pela música na estrada.

Música linda, pra gente lembrar que é normal passar por tudo que a gente passa.

Afinal, somos apenas humanos.

se joga

pornopopeia

10 dias no interior. Cidade pequena, vista linda, sem sair de um sítio, muita truta, vinho… e queijo, muito queijo!

Uma delícia isso aqui. Vontade louca de ficar mais tempo.

Ao mesmo tempo, saudade da bagunça!! Comecei a ler o livro insano Pornopopéia, do Reinaldo Moraes. Conheci o autor e ouvi falar no livro no extinto e super saudoso podcast/programa de rádio Fogo no Rádio, que além do Reinaldo tinha o cartunista Caco Galhardo e a Ana Pands. Ali conheci os livros e a história do Hunter Thompson, a música da querida Lulina, além de horas e mais horas de diversão sem fim.

(internet aqui tá fraca, não consegui linkar o Fogo no rádio direto no post. O endereço é esse aqui http://www.radio.uol.com.br/#/programa/fogo-no-radio. Site com o trabalho do Galhardo aqui: http://cacogalhardo.uol.com.br/)

Sobre o livro: não terminei, não cheguei nem na metade. Tô adorando! Mas, se você tem um estilo de leitura mais clássico, apego à escrita formal, restrição a textos com alto teor de sexo, drogas e rock’n’roll e maluquiçes diversas, nem pensa em ler…

E a música? Bom, já com com ela na cabeça tem uns dias…

Música ótima, animada, que adoro do fundo do coração! Além disso ainda me lembrou essa tira do Galhardo:

peitinhos

 

 

gostoso!!

Outro dia conheci essa música, delícia!

Na verdade, numa coincidência danada: cruzou na minha tela uma coisa que pareceu estranha, a princípio. Um cara que eu só conhecia como ator, ali, de olhar vendido, cantando. Fiquei curiosa e fui ver direito o que era.

Surpresa: descobri que o ator Alexandre Nero é também cantor e compositor. Já gravou alguns discos e, no fim do ano passado, lançou o Vendo amor – em suas mais variadas formas, tamanhos e posições. O título já faz ter idéias, né? Pra mim faz. Se juntar com a barba por fazer, o braço tatuado e a cara de mau então. Inspira um outro post sobre luxúria

Depois de um tempo só vendo o cara, gostei de investir em ouvir. Clipe gostoso de ver e de ouvir. Letra inteligente, alegre. Excelente participação do excelente André Abujamra.

Quem quiser conhecer mais, ele tem um site, tem twitter, canal do Youtube… bastante coisa fácil na internet. Recomendo também a música linda Lave, leve, love, que tem um clipe com o meu malvado favoritoAndré Dahmer, aquarelando.

Precioso.

Pra alegrar mais essa quinta-com-cara-de-sexta. Pra gente investir em boas coisas pra esse feriado, boas companhias, boa música. Pra ter boas idéias.

Pra gente começar bem novembro.

E se estiver mesmo à venda… ahhh mas eu compro