a Luna me chama eu tenho que ir pra rua

large

Uma semana caótica que começou com uma noite em claro de domingo pra segunda por pura insônia. Problemas demais, preocupações demais, tranquilidade de menos. Ao fim de cada dia, um cansaço crescente.
Mas aí chega a noite.
E a noite me chama.
E o sono e o cansaço vão embora. Eles vão voltar muito piores na manhã seguinte, mas agora é hora de sair. Só.
Lenine me entende.
Boa sexta ❤

Rio we go!

E o Rio de Janeiro continua lindo!! Semana importante, semana da Rio+20. A ideia é voltar a colocar a questão ambiental em debate numa escala muito maior do fazemos (se é que fazemos…) normalmente. 20 anos depois do assunto ter entrado pra pauta de discussão, lá vamos nós ver o que tem acontecido.

Opinião pessoal? Vamos ver muito blá blá blá por aqui, mas acho que é válido movimento de colocar a questão ambiental num destaque tão grande. Importante sim discutir sobre isso. Importante manter a esperança de que podemos mudar. Importante a gente começar a mudança… Ando pensando muito na frase do gandhi: ‘seja a mudança que você quer ver no mundo’, acho que é por aí. Quer mudar? Comece por você.

Pensei em postar uma música do Mohandas, mas a que eu queria já foi postada aqui. Linda.

Lembrei de uma outra música que amo, do muso daqui do blog: Lenine. Ela se chama ‘É fogo‘ e faz parte do álbum Labiata. A letra é linda, importante. Pega muito o espírito que está pairando por aqui esses dias.

Deixa de ler não…

Éramos uma pá de apocalípticos,

De meros hippies, com um falso alarme…
Economistas, médicos, políticos
Apenas nos tratavam com escárnio.

Nossas visões se revelaram válidas,
E eles se calaram mas é tarde.
As noites tão ficando meio cálidas…
E um mato grosso em chamas longe arde

O verde em cinzas se converte logo, logo…

É fogo! é fogo!

Éramos uns poetas loucos, místicos
Éramos tudo o que não era são;
Agora são com dados estatísticos
Os cientistas que nos dão razão.

De que valeu, em suma, a suma lógica
Do máximo consumo de hoje em dia,
Duma bárbara marcha tecnológica
E da fé cega na tecnologia?

Há só um sentimento que é de dó e de
Malogro…

É fogo… é fogo…

Doce morada bela, rica e única,
Dilapidada só como se fôsseis
A mina da fortuna econômica,
A fonte eterna de energias fósseis,

O que será, com mais alguns graus celsius,
De um rio, uma baía ou um recife,
Ou um ilhéu ao léu clamando aos céus, se os
Mares subirem muito, em tenerife?

E dos sem-água, o que será de cada súplica,
De cada rogo

É fogo… é fogo…

Em tanta parte, do ártico à antártida
Deixamos nossa marca no planeta:
Aliviemos já a pior parte da
Tragédia anunciada com trombeta.

O estrago vai ser pago pela gente toda;

É foda! é fogo!…
É a vida em jogo!’

Só o que me interessa

Depois de um post bombástico como o anterior da Luna, sobre a Mansão Luxemburgo e suas festas … me achei numa saia justa. Não pelo fato do post ter “bombado”, mas pela importância que ele teve, pra nós, meninas do musique.

É, a gente sonha, a gente sente saudade, a gente planeja, a gente corre atrás, a vida dá voltas, e algumas vezes conseguimos alcançar o que tanto almejamos. Se não conseguimos do jeito que queríamos é porque algo diferente está por vir.

Uma música de uma pessoa que tem música pra quase tudo na vida, Lenine, com É o que me interessa.

Eu quero estar cercado
Só de quem me interessa.

O Musiqueatrois pra mim é isso.

ps: acho que ainda estou reverberando a energia do show do Lenine …

Extra-sensorial

LENINE.

CHÃO.

 

 

Difícil escrever sobre algo que te faz flutuar, que te faz ter sensações, que te faz ver com o ouvido e sentir com os olhos.

Queria mesmo falar sobre todo o show, do começo ao fim, mas ficaria algumas tantas laudas me delongando …

O show foi FODÁSTICO, pra começar. Foi sensorial, extra-sensorial, double-stereo e eterno (como disse o Bernardo), orgânico, redondo, redondo.

Vc fecha os olhos e sente a música, com suas milhares de sonoridades. Abre os olhos, tem três pessoas, três lâmpadas e um tapete felpudo vermelho. Pra ver e sentir.

Eu já falei desse trabalho novo do Lenine aqui. O Chão é um disco que me surpreendeu muito, mostrou que o Lenine não veio aqui à passeio, o cara tem uma criatividade e uma certa genialidade pra ver o mundo, pra mostrar o mundo, pra te jogar na cara a verdade sobre o mundo, e fazer isso com poesia e com arte.

Ele pegou o conceito do Chão, e aplicou isso à algumas músicas suas antigas, como A Ponte, Acredite ou não, Paciência, Rua da Passagem (esta música pra mim é uma das mais geniais dele, ele traduz muito bem os sentimentos mundanos atuais, e a versão do show está simplesmente genial). Ou seja, o show foi inesquecível. Eu veria muitas vezes.

Ele começou e terminou o show com Isso é só o começo. Vc já prestou atenção na letra dessa música? Então leia. Depois escute. E cante. Depois me conta o que vc acha de você, do mundo e de você no mundo.Das pessoas e do que elas acham que o mundo é.

Aqui chegamos, enfim
A um ponto sem regresso
Ao começo do fim
De um longo e lento processo
Que se apressa a cada ano
Como um progresso insano
Que marcha pro retrocesso
E é só o começo

Estranhos dias vivemos
Dias de eventos extremos
E de excessos em excesso
Mas se com tudo que vemos
Os olhos viram do avesso
Outros eventos veremos
Outros extremos virão
Prepare seu coração
Que isso é só o começo
É só o começo
Isso é só o começo
É só o começo

Aqui chegamos, porém
Num evento diferente
Onde a gente se entretém
Um ao outro, frente a frente
Deixando um pouco ao fundo
O ambiente do mundo
Por esse aqui, entre a gente
É só o começo

Assim nesse clima quente
No espaço e tempo presente
Meu canto eu lanço, não meço
Minha rima eu arremesso
Pra que nada fique intacto
E tudo sinta o impacto
Da ação de cada canção
Preparem-se irmã, irmão
Que isso é só o começo
É só o começo
Isso é só o começo
É só o começo

 

 

 

Ps: Foto tirada daqui.

Ps2: Engraçado, saí do show com a palavra sensorial na cabeça. Pesquisando na net agora, definitivamente, esta palavra está muito ligada ao Chão! Seja ele qual for.

Ps3: O filho do Lenine, além de gingar com o pai, é peça fundamental pra criação desse trabalho!

 

só miragem

simplesmente isso. ele tá cantando TUDO que ando sentindo. a sombra do futuro, a sobra do passado, o assombro que isso tudo tem causado. a saudade de um tempo que ainda não passou, a espera pelo que vem. o caos no pensamento.

a miragem, a paz na solidão.

e como ele canta lindamente!!

obrigada Lenine, mais uma vez.

Fechada pra balanço

20120129-213941.jpg

Este fim de semana foi fechada, quieta em casa. Tanto curtindo a casa nova, quanto enfrentando uma gripe. E uma TPM… figa pé de pato mangalô três vezes!!!

Achei essa música linda pra combinar com o humor, huuuum, peculiar, dos últimos dias.

Ele, sempre ele.

um pouco mais de paciência

20111123-231348.jpg

Paciência. Hoje estava em duvida entre varias musicas para postar: umas mais alegres, outras verdades supremas da minha vida. Acabei escolhendo uma que é a cara do fim de semestre: a linda “Paciência” do Lenine.

Paciência pra terminar o que tem que escrever, paciência pra encontrar uma casa, pra descobrir o que é, pra deixar ir e esperar voltar. Paciência. Paciência pra resolver um probleminha de cada vez: réveillon, visita pra amiga querida que tá indo pra Espanha, pra esperar e fazer tudo que se deve.

Um pouco mais de paciência.

Um disco novo que já ficou na minha memória

Pára um pouquinho o que você está fazendo. Lenine merece. A seguir tem 6 curtos teasers do seu disco novo, Chão. Pare e veja todos.

Percebeu?

Tem levada, tem suingue, tem poesia. Mas … cadê a bateria? Não tem!

Por isso eu digo, o cara é um gênio. Ele faz com que o seu jeito de tocar, seu jeito meio “sujo” de tocar, com a corda tocada solta, seja a percussão do disco. Afinal de contas, Lenine é percussionista na sua essência.

E você percebeu como ele usa os elementos reais, barulhos do chão, do seu redor, do caminhar, pra compor as canções. Vc percebeu que lindo o canto de um passarinho no teaser de “Amor é pra quem ama”?

Só posso dizer que estou encantada. O álbum novo traz pra mim um Lenine mais suave e mais forte ao mesmo tempo, mais atencioso, mais minucioso e detalhista. Tem que escutar do começo ao fim. Parece que vai se encaixando. Por isso hoje não vou colocar aqui um música pras pessoas ouvirem. Baixem o disco (já está na net, mas se precisarem podem me pedir), ouçam ele todo e me contem. Exercício pro feriado.

Já que o tema do disco, poeticamente falando, é o amor … e porque não? Como diz o próprio Lenine, amor matéria-prima … e eu concordo.

surpresa boa – parte II

Hoje continuo (e finalizo) meus posts sobre boas surpresas em vídeos de música. Ah, e corrijo o terrível erro de até hoje nenhuma de nós ter postado uma música do Lenine! Absurdo!

A música que vou postar está entre as que eu mais gosto no disco ‘Labiata’. Isso talvez por ter associado ela imediatamente a uma outra queridíssima amiga que tá looonngeeee… Quando ouvi, senti como se fosse um cara completamente admirado por aquela mulher maravilhosa, que passa arrancando suspiros, anda com leveza, calma… e magra! Na hora associei a um desfile, a modelos lindas. Por isso a associação com essa minha amiga (também talentossíssima!). Outro dia descobri que a música tinha um clipe oficial. E qual não foi minha surpresa! Floresta, musgos, orquídeas. E uma mulher linda nesse meio, sendo igualmente enaltecida pela música. Fiquei um pouco em choque, mas amei esse vídeo! E o Lenine arrasa! Sou apaixonada pelas músicas dele…

Bom, quis colocar os dois clipes essa semana pra comparar mesmo. Como às vezes construimos uma idéia sobre uma música e acaba sendo completamente diferente. Ou não. Os 2 videos são contrarios: Paper Bag acabou por ser exatamente o que eu entendia e esperava da musica. Em ‘Magra’, minha expectativa era de algo chique, modelos em passarelas. A visão do Lenine foi uma floresta. Completamente o contrário, não menos lindo.