pra depois da tempestade

Depois do post lindeza de ontem, fico até meio sem graça de ser tão simples. Mas simples é bom também, né?

E Chico? Chico sempre é bom, é sempre lindo.

E hoje ele tá falando o que está engasgado na minha garganta… aqui ele não falava do Carnaval, nosso Carnaval de folia. Falava de outro.

Eu não. Quero a Carnaval de pular, de não abafar alegrias, de gritar. De ocupar minha cidade, de ver meus amigos.

E tá chegando… mais informações sobre o carnaval mais lindo dessas Minas Gerais aqui.

Lembranças de um amor perdido

20121219-100148.jpg

Semana difícil. Se juntar todas as noites, acho que não consegui dormir 8 horas.

Problemas, TPM, tensão, preocupações.

E saudade.

Hoje faz um ano.

Um ano que um serzinho muito importante na minha vida sumiu e nunca mais voltou.

Um ano que apareceu um buraquinho no meu coração. Um ano menos alegre.

Exagero meu? Talvez. Mas ‘a dor é de quem sente’, né? Então é só minha, exagerada ou não

Procurei uma música que falasse perdas. Lembrei dessa. Chico nunca é demais, né?

meninas de vó

 

 

Sabe aquela pessoa que te faz sentir a vontade? Amiga, linda, inteligente, alegre, gente boa até onde alguém pode ser? Que te recebe bem, faz uma comida deliciosa, ameniza a saudade gigante do resto da família que tá longe? Minha convidada de hoje é assim! Tenho um prazer imenso de receber aqui hoje a Pauloca, minha prima querida! Além de excelente companheira de uma (ou várias, depende do dia…) cervejinha, dividimos a mesma cidade. E isso faz toda, TODA a diferença!!

Com vocês, minha querida Paula:

‘Quem me conhece, e um pouquinho já basta, tem como clichê: a Paula AMA Chico Buarque. Costumo dizer que, depois do meu marido (claro!), ele é o homem mais lindo do mundo! Mas, não me refiro àquela beleza de encantar os olhos e sim a uma de encantar a alma. Uma beleza que não está na face ou no corpo, mas em tudo: na voz, no jeito, na poesia de ser.

A primeira música que aprendi cantar era do Chico Buarque. Eu tinha lá meus 3 ou 4 anos e cantava “João e Maria” com algumas palavras trocadas.

E cresci amando Chico.

“Todo o Sentimento” eu conheci muito depois do seu lançamento. Sempre ouvi e cantei a todo pulmão (sozinha no carro ou no chuveiro, claro!) e dizia que, se um dia eu me casasse, essa seria a música de fundo! Não há canção de amor mais linda que essa.

Canção de um amor de verdade, que se vive ao longo de anos e anos, devagarzinho, mas com intensidade. De um amor que verdadeiramente se dispõe a viver. Do amor que não é perfeito nem despreza as dificuldades e por isso mesmo, pode ser eternizado. Um amor duradouro, diferente um pouco dessa cultura do quase descartável que temos. Um amor que, durante o tempo, refaz o que, em algum momento, foi desfeito e então, ficamos prontos para vestir o corpo novamente com esse amor. Um amor que, de tão usado, cai doente, se desvencilha, se perde e depois, em um tempo de toda delicadeza, encontra-se novamente e nada precisa ser dito. Alguém duvida que seja essa a canção de amor mais linda?

Em uma entrevista, Chico fala da suposta “inutilidade” da arte e reforça o prazer dele em ter uma música sua como fundo musical de um namoro. Valeu Chico! Suas “inutilidades” me trazem todos os sentimentos!’

músicas que não cansam nunca – parte I

foto da Mari Versiani

Tem como cansar do Chico? Bom, em quase 30 anos escutando o muso, ainda não consegui cansar dele, da voz, dos olhos

Achei uma graça essa versão dele e da Roberta Sá. Uma troca de olhares de derreter qualquer moçoila, de enciumar qualquer Pedro Luis.

Já faz uns três anos que escuto essa música (em outra versão) praticamente todo dia. De vez em quando, várias vezes ao dia.

até o fim

O post de hoje nem tem muito a ver com o show que teve do Ney ontem em Brasília – e eu não fui. Um pouquinho foi a inspiração sim. Na verdade a escolha tá relacionada a frase linda: “Eu já nem lembro pronde mesmo que eu vou, mas vou até o fim”. Os últimos anos têm sido assim: errantes. Cidades, casas… cães. Ontem tive a incrível surpresa de ver como tomar uma decisão dolorosa pode acabar desatando alguns nós, acaba fazendo as coisas correrem com mais naturalidade. Mas ainda assim dói. E muito.

Uma coisa muito especial nessa versão é como juntou dois monstros sagrados da MPB num entrosamento impressionante. Coisa mais linda, mais inspiradora. No jeitim de colocar a semana pra correr.

Bom, o que resta agora é acreditar que tudo flui para uma direção. Isso ajuda a seguir adiante. Ajuda a ir até o fim.

Seja ele qual for :]