pense numa coisa boa que num instante você voa

IMG_2288

Se, pelo menos pra mim, setembro é o mês dos ipês amarelos, outubro é o mês dos aniversários. Só essa semana são seis. Isso contando as pessoas muito próximas.

Multi-dedicar um post pode, produção? Pooodeeeeee!

Hoje vou multi-dedicar o post às lindas e queridíssimas mulheres aniversariantes dessa semana.  (hoje é dia de dedicatória grande, por se tratar de 4 pessoas muito especiais. Ok quem não quiser ler tudo, mas sério: não perde essa música de hoje. Das mais lindas da vida.)

Hoje é dia de duas: da Ví e da Vó. Minha irmã parisiense Virginia, a minha Bi, faz aniversário hoje. Nem adianta muito tentar escrever o que é a saudade, ou o que o amor que sinto dela e por ela. Amo. Morro de saudade. E a vovó. Sim, 81 anos bem vividos. Dos quais testemunhei 31. Admiração, amor, carinho, respeito. Amor. Meu exemplo de vida.

Amanhã, quem começa a me acompanhar nos 30 é a Julinha. Minha Juju, amiga de sempre. De quando a gente tá longe, de quando a gente tá perto. Meu porto seguro eterno.

E a Fê, sábado. A pessoa que consegue me fazer gostar de fazer exercício. Quando a professora vira amiga? Pois é, é ela…

E bom, qual música pode ‘atender’ tanta gente querida?

Ele: Caetano Veloso. Ou melhor: Caetano cantando Bob Dylan. Comecei a Caetanear sexta passada, exatamente depois que pensei na música de hoje. Admito que a música é a música da Júlia. A música de quando eu ia pra casa dela, no alto dos meus 17 anos de idade. Cabelo colorido, piercings e Caetano no som. Pelo menos uma vez no dia essa tocava. E a Ví deve gostar dela também. A vovó ia achar legalzinha. A Fê, fã assumida do baiano em questão, se não conhece vai adorar conhecer. A Jú canta junto.

Que essa música se torne especial pra quem escutar ela hoje. Porque é linda demais… Que essas mulheres queridas se vistam de felicidades, de alegrias, de coisas boas.

Que a semana seja linda.

Sem brincadeira…

Qualidade de vida

20130901-224616.jpg

Sabe aqueles domingos ressaquentos que começam com você simplesmente saindo da cama pra ensinar a amiga da sua prima que dormiu na sua casa o caminho pra ela chegar lá, e termina num lindo museu de arte contemporânea a céu aberto ouvindo música excelente? Pois é… Super Berlim isso!

Aconteceu ontem. Viradas inesperadas da vida, fugidas estratégicas da cidade, drinks sucesso numa paisagem tão, mas TÃO linda, rodeada de pessoas muito muito queridas e de um som de energia contagiante. Isso é qualidade de vida. Isso é amor.

E isso tudo rolou motivado por um showzaço da Abayomy Afrobeat Orquestra. Que som fantástico! Me senti apresentada ao som da banda de uma forma muito fina, numa situação muito gostosa. Deixo hoje a excelente versão deles da música Zamba Bem.

A vida é boa, a vida é bela.

Uma berlíncia.

Querido Musique

20130529-022551.jpg

A Nara fez um disco chamado Meus amigos são um barato. Modestamente, venho aqui dizer: nosso blog é um barato.

Ok, meio pretensão. Explico: tava relendo posts antigos agora a pouco, descobri aqui um diário. Tenho um blog onde escrevo vez ou outra algumas inquietações. Mas as postagens diminuíram drasticamente pós-musique… Consigo lembrar direitinho do sentimento de cada post aqui, do momento de cada um, do que a música queria dizer ali. O que a música traduzia, o sentimento que quis passar com ela.

Bonito isso, gostoso reler isso.

Sempre que indico o Musique a alguém digo a mesma coisa: a gente faz isso com carinho.

E faz mesmo, espero que seja possível captar. Mesmo quando é corrido, mesmo quando é sem muito texto. Até quando não tem post. Difícil entender… Como já diria um ‘sábio’ lobo do mar que encontrei uma vez por aí,

só vivendo pra saber

Bom, e qual música vou escolher pra hoje? Confesso que precisei conferir se já não tinha postado ela nos últimos dois meses. Anda constantemente presente…

Aproveitando que é feriado, que você já leu esse texto até aqui, que eu devo estar na estrada indo pra roça, assiste esse clipe: a linda Diariamente, da Marisa Monte.

Tanto o clipe quanto a música são de uma simplicidade, beleza e inteligência comoventes.

E que a gente continue aqui, fazendo o que gosta, diariamente…