nunca é demais

1960-beatles-hamburg_germany1astrid

o que nunca é demais na vida? Um monte de coisa boa certo? Sentir o vento fresco, ternura, amigos do peito, amores eternos enquanto durem, sorvete, alegria, sorriso … e The Beatles!

Eu não canso de ler sobre, escutar, descobrir, ouvir, reouvir.
No meio de uma conversa sobre música, me dei conta de uma falha grave, nunca tinha parado pra assistir BackBeat, filme que fala sobre o início da carreira dos Beatles. A trilha sonora já tinha me ganhado anos atrás. Como não amar: Dave Pirner (Soul Asylum) e Greg Dulli (The Afghan Whigs) nos vocais, Thurston Moore ❤ (Sonic Youth) e Don Fleming (Gumball) nas guitarras, Mike Mills (R.E.M.) no baixo e Dave Grohl na bateria. COMO NÃO AMAR!?
Parei tudo, e vi o filme. Adoro ver o John nervoso e desesperado (como ele mesmo se intitula).
Só acho que eles botaram pano quente demais na morte do Stuart, maaaaaas, filme é filme.
E como eles gostavam tanto de se dizer uma banda de rock n´roll, aqui está ele. Música de Chuck Berry. E sim, no começo os Beatles faziam covers! Mas foi por muito pouco tempo.

O que me encanta sempre nas representações das histórias dos Beatles é o George. George Harrison ❤.

Find me where ye echo lays
Lose ye bodies in the maze

pra conviver bem

Triste

Tem dias que a convivência é difícil. Beirando insuportável. O incômodo do outro sobe e ferve e se faz sentir na ponta dos dedos, numa onda quente que vêm à cabeça.

Calma não é o bastante. É preciso sair da realidade, se retirar mentalmente daquele lugar do qual fisicamente você não pode sair.

Pra ajudar, uma lista de uma hora de músicas do Nick Drake.

Boa noite.

amizade

IMG_0551

choro quase sempre que escuto essa música. até hoje não sei se ela foi escrita pra falar de um casal ou de amigos. pra mim, se encaixa bem no que sinto com algumas amigas.

essa letra arrepia… quem quiser traduzida é só ver aqui

pra começar uma semana difícil e importante com isso em mente…

Na noite da cidade

2013-01-26 - 003

Ontem fui assistir Nick and Norah’s Infinite Playlist achando que seria uma fonte sensacional de músicas novas. Não foi – a não ser que baixando a trilha sonora eu encontre várias músicas boas, assistindo o filme nada me chamou atenção.

Minto; uma coisa me chamou atenção sim. A noite na cidade, aquela que você sai de casa pra tomar alguma coisa às 9pm, e quando vê são 4am e você está fazendo algo completamente diferente e já que são 6am e o dia está amanhecendo, pra que gastar com taxi? Vamos esperar mais um pouco e pegar um ônibus de volta pra casa.

Essas são as melhores.

Admito que BH não é a cidade das opções na madrugada. Mas… Quem nunca?

A música que me lembrou esse espírito não é trilha sonora do filme em questão, é do trabalho solo do Cee-Lo Green, Bright Lights Bigger City. Porque hoje é sexta-feira

quero comer jaca todo mês

539220_506756036017033_1261774718_n

Um música pra mudar o tom triste depois que acaba o carnaval.
Um música com cara de Brasil e com cara de mundo, com cara de baile.
Juca Chaves, o menestrel do Brasil.
Hey hey!

Essa música, que já é suingada na versão original, ganhou uma versão mixada para um filme, o Rio Breaks. O filme? Peculiar? Um gringo que resolveu fazer um filme sobre uns personagens de uma favela do Rio de Janeiro. Eu não assisti, mas fiquei bem curiosa. A trilha sonora me ganhou.

Tá bom, ouve a versão gostosa mixada:

Deixa eu decidir se é cedo ou tarde

…espera eu considerar…

O carnaval foi lindo mesmo. Difícil é voltar à vida real. Ainda mais com esse calor… com esse sol… Esse fim de tarde lindo…

Pode deixar a vida normal pra mais tarde?

Uma música do álbum dos Los Hermanos que eu mais escutei, Ventura, Deixa o Verão, na versão da Marina Aydar que está mais de acordo com meu ritmo nesta terça…

quando alguém está perdido

IMG_2554

passou Carnaval, e foi lindo! Vimos muito amor por aqui… valeu BH!!!!!

E pra começar essa semana, pra começar esse ano, lembrei dessa música. Na verdade lembrei primeiro desse disco lindinho do Pato Fu, o Música de Brinquedo. Crianças cantando, instrumentos infantis, e uma letra que, hoje, me diz muita coisa.