bem leve, a levada

acho que a noite foi de uma reflexão do tipo: o que faz sua dor maior que minha?

difícil. a gente sempre incorpora o nosso, a nossa dor maior que o resto do mundo. o preconceito que a gente pode sofrer, um dessabor ou desvalorização do que a gente é.

sei lá, sei o que eu sou e amo isso.

acho que sei sempre saberei o que sou. ou amarei o que serei um dia.

confuso, muito confuso.

dor é uma coisa muito difícil de se medir. dizer que de um é maior que de outro… pôxa, cada um sente a sua.

pela minha amada Celeste que logo vem, por um mundo mais feliz que eu acredito pra logo, que o vento leve tudo que é leve. que a gente se reinvente sempre.

pela minha amada Maria, que ainda não conheci. mas chamo de amada. de minha: minha querida, minha sobrinha.

pro mundo ser melhor…

uma música leve, em meio a milhões de devaneios. em meio a muito amor e muitos questionamentos sobre o mundo, sobre as pessoas…

pra já amada Celeste. lindo nome, linda família. já te amo.

pra Maria. pequena e grande. tão esperada!!!

já te amo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s