Ontem, hoje, amanhã

Uma música com cara vintage mas com tudo a ver com o que eu tenho gostado de escutar hoje.

Uma música que animou a pista ontem, pra animar a sexta hoje.

hey ho, let´s go!!!

Incrível se a primeira vez deles por aqui. Gente, Ramones!!!

Sério, quem não começou a gostar de rock com eles? Ok, não todo mundo. Pra mim foi. Já conhecia Beatles e uns mais tranquilos, mas punk, tosco, foram eles. A camisa deles que ganhei no meu aniversário de 13 anos tá na ativa até hoje. Atualmente como pijama, mas firme e forte!

E que som bom!! Sem colocar o refinamento musical em pauta, até porque não tenho o menor gabarito pra isso. Som bom de dançar, pular, fazer mosh.

E traz muita lembrança boa. De adolescência, descobertas…

Diversão, essa é a palavra.

Hoje, seguindo o clima animado, vamos com uma que amo deles, Tomorrow she goes away, do disco Mondo Bizarro. Sempre foi um dos meus discos preferidos!!

Porque hoje tem, gente!!!

Daqui a pouco no Granfinos, Musique e Mallu! Corre no facebook do Musique que hoje às 14:00 hs a gente sorteia uma cortesia!

na pixta pra negociar

Sempre que estamos em semana de discotecagem a gente fica meio elétrica, ouvindo músicas boas pra por na pista. E claro, botando os pezinhos pra dançar na sala.
Essa aqui é uma das que está na minha lista!
Bora pra pista?
Musique a trois discotecando no show da Mallu, no Granfinos, amanhã, aqui em BH!

uma música pra ser feliz

Hoje eu quis uma música no clima Mallu. Uma música pra ser linda, jovem, feliz. Pra tirar o sapato, dançar na sala de casa, chamar as amigas pra esquecer o cara que não respondeu a mensagem, planejar uma viagem, um picnic, um romance, um filme.

O casal lindo do vídeo é o Pete Yorn (dessa música aqui que todo mundo lembra) e a mocinha é ela mesmo – Scarlett Johansson (sim, ela canta, se quiser odiar ela um pouco mais fique à vontade).

Boa terça!

 

It’s a whole new world

Reviravoltas inesperadas, coisas remotas que viram opções palpáveis. Novidades. Coisas que terminam, coisas que começam… Eita esse novembro de 2012 foi com emoção, viu? Pra gente aqui do Musique pelo menos.

3, número mágico.

É bom estar junto. É bom ser três, estar por perto. É bom, mesmo de longe, rir junto. É bom poder contar, saber que tem com quem contar. Que tem alguém pra te dar um ‘bom dia’.

Isso tudo tem pesado muito nas decisões a serem tomadas pro pós-novembro. E, além de muito estudo e escrita, sabe o que espero: ALEGRIA!! Se o mundo vai acabar, não sei. Mas que alegria reine, gente…

Emfim, depois de tanto devaneio, coloca a preciosa música de hoje! A FOFA Dandy Darling, do já amado disco novo do Thiago Pethit. É a minha preferida do disco, num tem jeito! Semana passada ele lançou esse vídeo não-oficial dela, estrelado hilariamente por ninguém mais ninguém menos que a Twiggy! Arrasou!

Ahhhhh uma super novidade: nessa quinta, 29 de novembro de 2012 a fofa da Mallu toca em BH. Adivinha quem estará na discotecagem? Sim, nós, as Musiques!!!

Animou de ir? Então se liga que vamos sortear 2 convites na quinta-feira! É só ir lá na nossa página no faceebook a partir de hoje e se inscrever pra participar.

Perde não!! Vem ser alegrar com a gente!!!

as coisas que são bizarras e lindamente reais

O Musique definitivamente está numa fase rock/indie/alternative/noise/psychedelia … ou pelo menos eu estou.

Eu já tive dias em que eu queria ter um cabelo laranja, sair correndo que nem a Lolla, conhecer aquele carinha que gosta de ir em shows, ser estranha sem ter razão de ser. Já tive dias de querer algo que não era óbvio. Já tive dias de querer me apaixonar e dançar até o sol amanhecer. Já tive dias que me identifiquei MUITO com uma música.
E já teve dias que podia ser todo dia, ou qualquer dia.

A diferença é que eu não uso vaselina, e passo muita manteiga na torrada!

Flaming Lips arrasa com meu coração! Em todos os sentidos! Uma banda que consegue fazer um som ácido, que fala de coisas aleatoriamente estranhas, incomuns e bizzaramente reais.

Sobre amor e paixão

Paixão é uma coisa confusa. E brega. Não sei se é mais confusa que brega, mas faz a gente sorrir. Rir. Poucas pessoas conseguiriam colocar uma emoção como essa em uma foto, mas eu acredito ter conseguido exatamente esse efeito na foto-colagem acima.

Amor é uma coisa doce. Muda seu dia. Sua vida. O amor deixa a sua existência mais tolerável. A paixão, mais divertida.

Todo dia eu acordo de olho no celular porque sei que em breve vai chegar uma mensagem de bom dia. E ao longo do dia várias outras sobre tudo e nada e meu dia vai ser melhor por causa disso.

Isso é amor.

Ontem eu saí do regime e comi um brigadeiro que eu quis casar com ele.

Isso é paixão.

Eu preciso ter o Toxicity no carro porque ele deixa minha vida mais feliz desde a época em que o som do meu carro era de fita cassete.

Isso é amor.

Eu escutar SOAD e achar o Serj Tankian lindo.

Isso é paixão.

Por que eu me apaixono pelo Serj sempre que volto a escutar SOAD? Bom… Por que não?

A massa está carente. O mundo está cheio de almas pequenas. Mas eu não quero ser o mundo. Eu quero ser grande. Então eu amo as pessoas que valem a pena amar, e eu amo as coisas. As coisas que eu faço, que eu como, que eu escuto.

Escute uma música que você ama. Coloque ela no repeat, põe o som naquela altura que você tem certeza que vai interferir com os seus batimentos cardíacos e se apaixone por ela. Pelo vocalista, pelo baterista, pelo solo da guitarra.

Eu normalmente sou ciumenta, mas hoje eu divido o Serj com vocês. Do Toxicity, um dos álbuns que marca minha vida, a música título.

ps.: ok, eu fui um pouco irônica com relação à foto (habilidade over 9000!), mas é que eu acabei de aprender a fazer foto-colagem e achei divertido (=

 

almas pequenas

Um pouco pelo texto de ontem da Yu, um pouco por constatação in loco: muita gente covarde no mundo. Limitada, egoísta. Covarde.

Muita cabeça pequena. Muita gente que se recusa a crescer, a ver o que está em volta. A perceber que o mundo é muito maior, muito mais.

Se recusam a ver o mundo.

Falando sério: PRE-GUI-ÇA!!!!!!

Tem algumas semanas que estou com essa música na cabeça. Hoje ela encaixou.

Abram a janela, deixem o mundo entrar.

A massa está carente


As inquietudes do mundo são praticamente iguais. Nos sentimos sozinhos numa multidão. Sentimos falta de amor em meio a tantos “eu te amo”. Sentimos que nada vai dar certo, quando na verdade até hoje tudo deu certo. Nos sentimos infelizes mesmo quando estamos espalhando sorrisos sinceros. Nos sentimos incompletos, quando isso na verdade é o sentimento que nos move pra frente.

A música que me fez pensar nisso foi Se Pá Ska. S.P. do album recém lançado do Lucas Santtana.

Eu sou cheia disso tudo aí que eu falei, me debato muito. Mas também acredito, e sonho mais ainda. E esses sonhos me fazem ser leve, e ter amor, muito amor. Pra tudo que é bom, tenho ombros e coração, pra aqueles que julgo necessários na minha vida, levo guardado com muito carinho.

Uma música que eu amo.

A gente deve cuidar das coisas que gosta com carinho. Ter cuidado. Eu sei que às vezes falar de música e do tanto que gosto dela pode ser super clichê, mas é verdade e eu não saberia escrever de outra forma. Uma música que você ama, que sempre que você escuta te deixa melhor, mais feliz, mais reflexivo ou que traga qualquer outra emoção que você precise naquele momento é uma coisa preciosa.

Eu tenho algumas que são preciosas assim pra mim, e eu tenho um certo cuidado com elas. Cuidado pra não escutar demais e gastar. Pra não tocar pra alguém que não dê valor. Hoje vou falar de uma música assim.

Semana passada estava fazendo uma viagem incrível pra um lugar que superou – em muito, o que eu nem achava possível – minhas expectativas. E no meio da minha agitação interna, da minha felicidade extrema, do excesso de informação à minha volta eu encontrei um momento pra escutar essa música que, se antes já era boa, agora vai estar pra sempre associada a um dos momentos mais bacanas da minha vida.

E é assim, com todo meu carinho, que eu toco pra vocês Electioneering.