Take my hand, I’m standing right here

 

Hoje o post é uma homenagem ao show do Bob Dylan. Dês que saí de lá, não tiro o Tom Waits da cabeça…

Cresci vendo as capas do disco dele em casa, ouvindo vez ou outra essa voz estranha. Ficou mais grave quando minha então professora de ballet começou a colocar músicas do dito cujo nos exercícios que a gente fazia na aula. Mas a paixão foi quando descobri que ele fazia pontas em alguns filmes, e tinha acabado de fazer no ‘Drácula’.

É sim uma voz estranha, arrastada de um jeito muito envolvente, numa levada muito gostosa…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s