RAMO e a liberdade musical

Já tem umas três semanas que eu estou escutando este album sem parar: RAMO.

É um som de altíssimo nível, pra ouvidos de fino trato mesmo, e o album inteiro merece ser ouvido com calma.

Cada música me traz uma sensação diferente. Um som experimental, com jazz, com música erudita. Na verdade música brasileira é assim né?

Depois de estar contagiada pelo som é que fui procurar sobre a formação da banda, que não podia ser outra, músicos admiráveis de BH:

No encalço de um novo sopro para a música do nosso tempo. Tocando composições de seus integrantes, o grupo desenvolve uma linguagem que alia liberdade de improvisação a ousadia composicional.
É formado por Daniel Pantoja (flautas), Felipe José (violoncelo, flauta e violão),  Rafael Martini (piano e violão), Frederico Heliodoro (contrabaixo) e Antonio Loureiro (bateria), compositores premiados em alguns dos mais importantes concursos de música instrumental do Brasil. O grupo, premiado pelo prêmio Pixinguinha (FUNARTE), acaba de gravar seu primeiro disco, com direção musical de Benjamim Taubkin e oficinas com Itiberê Zwarg.

A música que eu escolhi foi Volupedes, porque ela tem altos e baixos deliciosos, que acompanham a vida.

 

 

 

Um pensamento sobre “RAMO e a liberdade musical

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s